Cardeal Pell anuncia que os leigos terão maior responsabilidade no Governo da Santa Sé

“Os homens e mulheres profissionais com experiência em áreas, tais como as finanças, poderiam ter muito que oferecer na supervisão de alguns departamentos do Vaticano, talvez sob a direção de um cardeal”, declarou à imprensa australiana o cardeal George Pell.

A informação é de Religión Digital, 18-04-2013. A tradução é do Cepat.

Pell, de 71 anos de idade, é um dos oito cardeais nomeados pelo Papa Francisco como parte de um grupo assessor permanente que o ajude na gestão da Igreja católica e na reforma da Cúria Romana.

nomeação, anunciada no sábado passado, mostra que o cardeal Pell, um firme partidário do Papa João Paulo II e amigo de Bento XVI, foi reconhecido por seu talento e energia pelo novo pontífice. Os dois serviram juntos em vários organismos do Vaticano.

O ex-embaixador da Austrália na Santa Sé, Tim Fischer, disse que o Papa Francisco havia se decidido rapidamente para escolher um “gabinete assessor de cardeais”. Este grupo, que tem um só purpurado italiano, “incluiu merecidamente o cardeal Pell”, que tem uma grande experiência, sobretudo no setor financeiro estrutural e de gestão, acrescentou Fischer.

A maioria dos cardeais incorporados ao grupo é vista como “limpos” fora do Vaticano. A oficina de imprensa do Vaticano disse que o papa recolheu a ideia nas reuniões do pré-conclave. “Formou-se um grupo de cardeais para que o assessorasse no governo da Igreja universal e para estudar a revisão da Constituição Apostólica Pastor Bonus sobre a Cúria Romana”, informou.

O grupo se reunirá em Roma a partir de 1º de outubro e o Papa Francisco estará em contato regular. O que não se sabe é se vão ter acesso ao relatório “top-secret”, preparado no ano passado por conta dos Vatileaks.

Anúncios