Forania de Ourinhos Confissões Advento-Natal 2012

 

CELEBRAÇÃO PENITENCIAL – ADVENTO 2012

“Purificai-nos, Senhor, e seremos puros”.

ACOLHIDA

 

Animador: CREMOS com todas as forças de nossos corações que um dia voltarás. Cremos que viestes entre nós, nascendo em nossa condição humana. Cremos que és “Emanuel” — Deus conosco; Deus que vive entre nós. Cremos, e nossa fé faz aumentar sempre mais a esperança: Um dia nos veremos frente a frente,

Um dia cantaremos nossa alegria, quando a vida for eternamente feliz. Quando será esse dia, Senhor? Cremos que nascestes na pobreza humana, para mostrar vossa luz e vosso esplendor. Cremos que sois o Filho do Deus vivo, a quem adoramos e glorificamos no Natal.

 

CANTO DE ENTRADA

 

(Canto: Das alturas orvalhem os céus; Louvemos nº 1327)

Refrão: Das alturas orvalhem os céus,* e as nuvens que chovam justiça,* que a terra se abra ao amor* e germine o Deus Salvador. (bis)

1. Foste amigo antigamente* desta terra que amaste,* deste povo que escolheste;* sua sorte melhoraste,* perdoaste seus pecados,* tua raiva acalmaste.

2. Escutemos suas palavras,* é de paz que vai falar;* paz ao povo, a seus fiéis,* a quem dele se achegar.* Está perto a salvação* e a glória vai voltar.

ACOLHIDA PRESIDENCIAL

Presidente: EM NOME do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

Assembleia: Amém!

Presidente: O AMOR misericordioso do Pai, que nos convida a interceder o seu perdão, esteja convosco.

Assembleia: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

MONIÇÃO INICIAL

Presidente: NÓS cremos que o Natal de Jesus Cristo é a celebração da Encarnação divina em nossa vida humana. Deus entrou em nossa vida para que pudéssemos ter em nós a sua vida divina. O pecado é uma barreira que nos impede o acolhimento de Deus em nossas vidas. Por

isso, iniciemos nossa celebração proclamando seu amor e sua misericórdia.

 

(Breve pausa silenciosa)

Salmo 50

Salmista: Piedade, ó Senhor, tende piedade,* pois pecamos contra vós!

Assembleia:Piedade, ó Senhor, tende piedade,* pois pecamos contra vós!

Salmista: Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia!* Na imensidão de vosso amor, purificai-me!* Do meu pecado, todo inteiro, me lavai* e apagai completamente a minha culpa!

Salmista: Eu reconheço toda a minha iniqüidade,* o meu pecado está sempre à minha frente,* foi contra vós, só contra vós que eu pequei*  e pratiquei o que é mau aos vossos olhos!

Salmista: Mas vós amais os corações que são sinceros,* na intimidade me ensinais sabedoria.* Aspergi-me e serei puro do pecado,* e mais branco do que a neve ficarei.

Salmista: Fazei-me ouvir cantos de festa e de alegria,* e exultarão estes meus ossos que esmagastes.* Desviai o vosso olhar dos meus pecados* e apagai todas as minhas transgressões.

Salmista: Criai em mim um coração que seja puro,* dai-me de novo um espírito decidido.* Ó Senhor, não me afasteis de vossa face* nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!

Salmista: Dai-me de novo a alegria de ser salvo* e confirmai-me com espírito generoso!* Abri meus lábios, ó Senhor, para cantar* e minha boca anunciará vosso louvor!

Salmista: Demos glória a Deus Pai onipotente* e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso.* E ao Espírito que habita em nosso peito,* pelos séculos dos séculos. Amém!

ORAÇÃO

Presidente: OREMOS: (momento de silêncio) PAI,que sois bondade e misericórdia, olhai vosso povo aqui reunido para confessar seu pecado, receber vosso perdão e ser por vós purificado. Tende piedade de nós, Senhor, e criai em nós um coração que seja puro, para que possamos participar da alegria da Salvação que nos ofere

ofereceis no Santo Natal. * Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Assembleia: Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

(Canto: LOUVOR E GLÓRIA A TI, SENHOR; Louvemos nº 1761)

 Refrão: Louvor e glória a ti, Senhor, * Cristo, palavra de Deus; * Cristo, palavra de Deus!

1. O homem não vive somente de pão, * mas de toda Palavra que da boca de Deus!

EVANGELHO

(Mc 13,33-37)

Presidente: O Senhor esteja convosco.

Assembleia: Ele está no meio de nós.

Presidente: Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, X segundo Marcos.

Assembleia: Glória a vós, Senhor.

Presidente: Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 33Cuidado! Ficai atentos, porque não sabeis quando chegará o momento. 34É como um homem que, ao partir para o estrangeiro, deixou sua casa sob a responsabilidade de seus empregados, distribuindo a cada um sua tarefa. E mandou o porteiro ficar vigiando.

35Vigiai, portanto, porque não sabeis quando o dono da casa vem: à tarde, à meia-noite, de madrugada ou ao amanhecer. 36Para que não suceda que, vindo de repente, ele vos encontre dormindo.

37O que vos digo, digo a todos: Vigiai!”

— Palavra da Salvação.

Assembleia: Glória a vós, Senhor.

HOMILIA  (Se houver)

 Invocação do perdão divino

 Presidente: A MISERICÓRDIA de Deus é ilimitada. Ele nos amou por primeiro e nos liberta do pecado. Invoquemos, pois, seu perdão, para que acolhendo a graça da conversão, confessemos seu amor eterno.

(Breve momento de silêncio)

Presidente:NÓS reconhecemos que temos confiado mais em nós mesmos que em ti.* Dirigi vosso olhar para nós, Senhor, e tende compaixão.

Assembleia: Senhor, tende piedade de nós!

Presidente: RECONHECEMOS nossa indiferença e que faltamos com a humildade.* Dirigi vosso olhar para nós, Cristo, e tende compaixão.

Assembleia: Cristo, tende piedade de nós!

Presidente: CEGADOS pelo orgulho, tantas vezes nos consideramos melhor que os outros.* Dirigi vosso olhar para nós, Senhor, e tende compaixão.

Assembleia: Senhor, tende piedade de nós!

 Presidente: RECONHECEMOS que nem sempre estendemos a mão a quem está sofrendo e necessitado.* Dirigi vosso olhar para nós, Cristo, e tende compaixão.

Assembleia: Cristo, tende piedade de nós!

Presidente: RECONHECEMOS que por causa do medo, negamos o testemunho de nossa fé. * Dirigi vosso olhar para nós, Senhor, e tende compaixão.

Assembleia: Senhor, tende piedade de nós!

 Presidente: RECONHECEMOS que por causa da vergonha, negamos ser discípulos e discípulas do Evangelho.* Dirigi vosso olhar para nós, Cristo, e tende compaixão.

 

Assembleia: Cristo, tende piedade de nós!

EXAME DE CONSCIÊNCIA

(Sentados)

Presidente: DEPOIS de reconhecer e invocar o perdão divino, elevemos nossos corações até Deus e imploremos que envie o seu Espírito Santo, para que possamos nos preparar do melhor modo possível, reconhecendo nossos pecados e acolhendo o perdão divino e o perdão da Igreja.

Canto de invocação do Espírito Santo

(Canto: Vem, vem, vem, Espírito Santo; Louvemos nº 826)

Refrão: Vem, vem, vem, Espírito Santo.* Transforma minha vida, quero renascer. (bis)

1. Quero abandonar-me em seu amor.* Encharcar-me em seus rios, Senhor.* Derrubar as barreiras em meu coração.

Leitor 1: Purificados pela Palavra que ouvimos e meditamos, preparados pela súplica de perdão que dirigimos a Deus e aos irmãos, silenciemos para examinar nosso modo de viver e fazer uma boa confissão em preparação do Santo Natal de Jesus Cristo.

Breve momento de silêncio)

CORAÇÃO

Presidente: NO SILÊNCIO profundo de nosso ser, escutemos nosso coração com os ouvidos de discípulos e discípulas de Jesus, quando ele diz: “Não é aquilo que vem de fora do homem que mancha sua vida, mas o que vem do coração: pensamentos malvados, assassinatos, adultérios, fornicação, roubos, falsos juramentos, blasfêmias; isso contamina a vida humana” (Mt 15,11.18).

 

Leitor 1: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando não encontro mais tempo para rezar, para ouvir, ler e meditar o Evangelho.

 

Leitor 2: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando arrumo mil e uma desculpas para não participar da Missa Dominical e das orações na comunidade.

Leitor 1: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando compreendo o que pede o Evangelho, mas prefiro priorizar meus interesses, minha comodidade ou meu orgulho.

Leitor 2: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando cultivo em meu coração a raiva, algum desejo de vingança sem me dispor a buscar a reconciliação e o perdão.

Leitor 1: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando busco mentiras e falsidades dentro de mim para fugir de minhas responsabilidades cristãs e sociais.

Leitor 2: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando discrimino, em pensamentos e palavras, pessoas diferentes na cultura e no modo de pensar.

Leitor 1: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando alimento em meu coração invejas, ciúmes, calúnias ou difamações contra o próximo.

Leitor 2: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando cultivo pensamentos imorais, fantasias indecentes, propostas desrespeitosas.

MÃOS

Presidente: CONTINUEMOS no silêncio e olhemos para nossas mãos com os olhos de discípulos e discípulas de Jesus, quando ele nos diz: “Se tua mão for ocasião de pecado, arranca-a, porque é melhor entrar na vida eterna com uma das mãos, do que ir para o inferno com as duas mãos” (Mt 5,30).

 

Leitor 1: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, se minha vida tem como único interesse os bens materiais e não me disponho a partilhar o “pão” com os necessitados.

 

Leitor 2: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando não abro as mãos para dar, mas as fecho em atitude egoísta, quando não abro as mãos para acolher, mas para afastar.

 

Leitor 1: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, se engano meus irmãos e irmãs ou quando não cumpro com meus deveres de cidadão e de cidadã.

 

Leitor 2: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando não respeito os direitos dos outros: de meus amigos, de meus colegas, de meus familiares, de meus vizinhos.

 

Leitor 1: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando ajo de modo imprudente na direção de um carro, colocando minha vida e a vida de outros em perigo.

 

Leitor 2: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando cedo ao álcool, ou a alguma outra droga, agredindo meu corpo e a colocando em risco a vida de outras pessoas.

 

PÉS

 

Presidente: RECONHECEMOS que nossa vida está nas mãos de Deus, por isso olhemos para nossos pés, símbolo de onde caminhamos com nossas vidas, como nos diz o Senhor: “Se teu pé for motivo de pecado, arranca-o, porque é melhor entrar na vida eterna com um só pé, do que com os dois ser jogado na Geena do fogo eterno” (Mt 18,8).

 

Leitor 1: Reconheço, Senhor, que não testemunho que sou vosso discípulo e discípula, quando me omito de participar das atividades da comunidade, do bairro, da escola…

 

Leitor 2: Reconheço, Senhor, que não testemunho que sou vosso discípulo e discípula, quando me fecho e me preocupo somente em defender minha tranqüilidade em vez de lutar por melhores condições de vida.

Leitor 1: Reconheço, Senhor, que não testemunho que sou vosso discípulo e discípula, quando minha comodidade fala mais alto e me impede de ir ao encontro dos necessitados.

Leitor 2: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando por vergonha ou respeito humano renuncio ao meu  dever de testemunhar Jesus Cristo e seu Evangelho.

O ESPÍRITO

 

Presidente: O EVANGELHO é a luz que ilumina nossa vida espiritual. Quanto mais conhecemos o Evangelho, mais alimentamos nosso espírito com a vida divina, como ensina o Apóstolo São Paulo: “nós não recebemos o espírito do mundo, mas sim o Espírito que vem de Deus, que nos dá a conhecer as graças que Deus coloca em nós” (1Cor 2,12).

 

Leitor 1: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando não procuro meios e oportunidades para alimentar e aprofundar minha fé.

 

Leitor 2: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando permaneço surdo aos convites de conversão e teimosamente me considero melhor que os outros.

 

Leitor 1: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando vivo de modo superficial, quando considero que ser cristão se resume em fazer algumas orações devocionais, e as faço de modo superficial e mecanicamente.

 

Leitor 2: Reconheço, Senhor, que me afasto de vós, quando me torno indiferente às orientações da Igreja e desrespeito os Mandamentos da Lei de Deus ou os adoto ao meu modo de viver e de pensar.

 

SILÊNCIO PESSOAL

 

Presidente: CONCLUÍMOS o caminho que nos fez confrontar-nos com nossa consciência. Permanecemos ainda em silêncio, para que cada um de nós possa olhar para sua própria vida e reconhecer suas faltas e aquilo que ainda pesa no seu coração.

 

(Pausa)

Ritos finais

ORAÇÃO DO PAI NOSSO

Presidente: Elevemos com amor e confiança nossa oração ao Pai, como Jesus nos ensinou:

Assembleia: Pai nosso…

Presidente: LIVRAI-NOS de todos os males, ó Pai, e na vossa bondade imensa perdoai nossos pecados, para que purificados e consolados pelo vosso perdão, possamos nos tornar eficazes aliados do vosso projeto de vida para a terra e para toda a humanidade, pois a vós pertence o poder, a honra e a glória para sempre.

Assembleia: Vosso é o Reino, o poder e a glória para sempre!

ABRAÇO DA PAZ

Presidente: ANTES de nos aproximar da Confissão pessoal, como gesto de reconciliação e de alegria, saudemo-nos uns aos outros em Cristo Jesus.

ORAÇÃO FINAL

Presidente: OREMOS: (pausa) DEUS de bondade, que manifestais vossa misericórdia perdoando nossos pecados, concedei-nos a graça de celebrar santamente o Natal de vosso Filho, para que participando da graça da Encarnação, tenhamos a alegria de viver eternamente convosco. Por Cristo, nosso Senhor.

Presidente: Em atitude fraterna, de quem se reconcilia com Deus e com os irmãos e irmãs, partilhemos a alegria do perdão através do abraço da paz. Saudemo-nos em Cristo Jesus.

Rito sacramental

Presidente: CONCLUÍMOS nossa preparação comunitária para participar e celebrar individualmente o perdão do Senhor. Todos estão convidados a procurar o confessor para celebrar como membro vivo da Igreja o perdão e a misericórdia em sua vida pessoal.

 

Presidente: PERMANEÇAMOS na misericórdia divina, pois Ele perdoa todos os nossos pecados.

 

Assembleia: Graças a Deus.

 

 

CONFISSÃO

E ABSOLVIÇÃO INDIVIDUAL

(Antes da confissão, serão dados os avisos de ordem prática, para que todos possam participar de modo frutuoso do sacramento.

Os celebrantes são convidados a irem se confessar. Enquanto isso, pode-se cantar um canto como ação de graças para concluir o rito penitencial)

Anúncios