Caminhada dos mártires e denúncia indígena sinalizam a força das CEBs

18/11/2012 | Cecília de Paiva, jornalista

Tem gosto de Deus, tem gosto de amor, tem gosto de fé, tem gosto de dor”. A experiência das CEBs é narrada pelo canto que chama para a luta, em favor do milagre da vida. Assim começou a programação vespertina deste sábado (17) dos participantes do 3º Oestão, realizado em Dourados, MS, de 15 a 18 de novembro de 2012. Depois disso, o microfone foi passado para os inscritos na Fila do Povo, para trazer narrativas que trataram de violações em nome do progresso e conquistas de grupos e comunidades unidas por causas comuns.

Em cada fala, o protagonismo das CEBs na luta sindical, no direito à vida contra o aborto, nas questões

urbanas e ecológicas e nos movimentos sociais pela terra. Aos poucos, a fila cresceu com os delegados contagiados pela partilha dos mais falantes.

Um deles foi o jovem Kaiowá guarani Oriel Benites, o qual mostrou a Constituição Federal para que ninguém, segundo ele, pudesse esquecer o que já está escrito, mas não conquistado. Isso porque, momentos antes, Oriel havia utilizado a plenária para denunciar o envenenamento das águas do rio Y’Poi por alguns fazendeiros de Paranhos (MS). Afirmou ser mais um caso de desrespeito ao seu povo e à mãe terra, pois o rio é utilizado para a sobrevivência de cerca de 200 índios e, há dois dias, o envenenamento contaminou toda a água.

Oriel compartilhou também um vídeo feito no local, explicando que tentaram filmar alguma pista que pudesse indicar que tipo de veneno foi usado. Contudo “pistoleiros atiraram nos companheiros, mas eles conseguiram filmar o rio cheio de espuma do veneno jogado. O rio tava cheio de espuma”, repetia em lamento Oriel, pedindo que mais pessoas denunciassem esse ato,”porque essa água é usada pela aldeia para beber e tomar banho”, contou.

Essa questão motivou um dos grupos de discussão a fazer uma carta em repúdio, saindo como proposta lida em plenária, indicada para ser endereçada a autoridades civis e eclesiais como carta emitida por “Cristãos e Cristãs reunidos por ocasião do 3º Oestão de CEBs, em Dourados, MS”.

Em seguida, todos saíram em romaria, conforme a programação, com os romeiros carregando cartazes com os mártires e dizeres sobre suas lutas. Durante a caminhada, ocorreram três paradas sinalizadas pelas palavras Justiça, Profecia e Vida, até chegar à Igreja de Santa Teresinha, onde houve missa concelebrada por alguns dos padres presentes, também romeiros das CEBs.

Confira também:

Identidade, atuação e fundamentos dos que vivenciam as lutas de CEBs

Encontro de CEBs ressoa voz dos oprimidos em Dourados/MS

Fonte: COMIRE Oeste 1

Anúncios