Os lustres do centenario e a metafora de Madre Teresa

‘É frequente observares fios elétricos ao longo da estrada. Se a corrente não passa por eles, não há luz. O fio é o que somos tu e eu. A corrente elétrica é Deus. Temos o poder de a deixar passar através de nós e, assim, fornecer ao mundo a Luz, que é Jesus, ou de recusarmos que Ele Se sirva de nós, permitindo, com isso, que a escuridão se alastre.’ Madre Teresa de Calcutá.

Depois de 60 anos foi trocado na Igreja Matriz o lustre central juntamente aos dois laterais dos anos 70. Sem duvida  a realização fruto de doação e generosidade dos dizimistas e amigos da comunidade vai ser marco do Centenario Paroquial.

A metafora de Madre Teresa de Calcutá pode ser aplicada também aos lustres. Cada um maravilhoso, mas sem energia não poderia brilhar e oferecer o melhor pela finalidade que foi projetado. Assim é de nós pequenas obras de arte do Criador, não podemos brilhar e realizar nossa missão sem a ligação na rede ( a Igreja) e sem a energia que é Jesus !

Anúncios